12 agosto 2016

As flores

Tinha duas certezas sobre o meu bouquet: não ia gastar um dinheirão nisso e não ia atirá-lo às solteiras.

Vamos por partes: a única coisa que eu precisaria de uma florista era o bouquet. O Palácio foi decorado pela equipa de catering e a igreja ia ser eu a decorar. Quando comecei a consultar algumas floristas para pedir orçamentos para o bouquet percebi mais uma vez como tudo o que tem a palavra "casamento" envolvido sofre logo uma inflação. Eu adoro gipsofilas mas curiosamente (ou não, visto ser das flores mais baratas) nenhuma florista era muito fã. Mostravam-se sempre flores mais exóticas e bouquets super ornamentados... enfim, não estávamos a chegar à simplicidade que eu pretendia. E então tomei a minha decisão (das melhoras!): eu e a minha mãe faríamos o bouquet. Fui ao MARL comprar as flores e comprei o suficiente para o bouquet, para ornamentar a igreja e para juntar ao arroz para nos atirarem à saída da igreja. No dia anterior pusemos mãos à obra com as flores que eu tinha escolhido: gipsofilas e rosas de Santa Teresinha. E o resultado está à vista:

Não nos safámos nada mal, pois não?

A segunda parte era como "atirar o bouquet". Eu não queria atirar porque já vi muitas pessoas a terem comportamentos completamente loucos para conseguirem apanhá-lo! Eu não queria nem que as minhas amigas perdessem a dignidade nem ter um video de solteiras malucas no youtube. Então andei a ver outras opções e até há ideias giras, com fitas agarradas ao bouquet e assim, mas não era bem isso que eu queria... e então decidi: vou entregar o meu bouquet a Nossa Senhora de Fátima! Acho uma solução bonita e que tem muito a ver comigo. Pareceu-me tão bem oferecê-lo em sinal de agradecimento por toda a alegria que estava a receber, pela família feliz que tenho, os bons amigos...

Mas como eu não sou menina de deixar as minhas solteiras mais lindas de mãos a abanar, tive outra ideia... no dia do casamento, pedi ao DJ para tocar o Single Ladies, e lá se começaram a alinhar as minhas amigas. Ainda dancei um bocadinho, virei-me de costas para elas, a ansiedade a aumentar, e quando elas pensavam que eu ia atirar, pedi o microfone e expliquei-lhes a minha decisão. E quando elas estavam a fazer as suas caras mais desiludidas, mostrei-lhes o cesto que tinha preparado com um bouquet para cada uma delas, carregado de carinho e de todas as minhas preces para que tenham uma vida e um casamento tão feliz quanto o meu!

Não foi a mesma coisa, eu sei. Mas assim todas levaram um para casa. E a intenção foi a melhor possível!

14 comentários:

  1. Soluções bem giras que arranjaste! O bouquet ficou muito bonito! :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei do bouquet :)
    Já fui a um casamento em que o proprio bouquet da noiva quando ela o atirava, soltou-se em pequenos ramos que era o numero de solteiras existentes :)

    ResponderEliminar
  3. obrigada pelo comentário <3
    acho que tiveste uma excelente ideia, gostei :D

    www.pinkie-love-forever.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Que gesto lindo e muito bem pensado!
    Quando casei entreguei o meu bouquet à Senhora de Fátima e mantive uns para as "amigas doidas e solteiras".... Isso já vai há muuito tempo ;)
    bjs
    Coco and Jeans by Marisa

    ResponderEliminar
  5. Ficou muito lindo o teu bouquet. Parabéns.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. O bouquet é lindo lindo, super delicado, como tu me pareces ser no que toca ao amor, não sei, é o que sinto qunado leio os teus textos...
    A ideia de um ramo para cada uma é fantástica, gostei muito.
    Beijinhos.

    misscokette.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Olha que ficou mesmo giro!! Eu como sou toda de trabalhos manuais, está-me no sangue ahahahahah, penso que muitas vezes se poupa um bom dinheiro fazendo nós mesmas e acaba por ter um significado especial.
    O meu bouquet foi a coisinha mais triste porque as flores não eram de época tiveram de ser importadas (ai mulher se soubesses o quanto me arrependo, de casar e do dinheirão que gastei em tanta coisa) e como estava muito calor estavam todas murchas (já não me lembro do nome das flores sorry).
    O meu ramo não atirei, guardei-o em homenagem ao meu avô pedindo-lhe a bênção e proteção (não adiantou de muito mas pronto) mas mandei fazer um ramo mais pequeno pra mandar às solteiras, eram poucas por isso não houve porrada!
    Mas foi uma boa ideia a tua!

    Beijinho
    www.blogasbolinhasamarelas.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Adorei o teu bouquet :D e as tuas ideias também foram geniais!

    ResponderEliminar
  9. O ramo ficou super giro e delicado! Gostei! A ideia foi realmente muito bem pensada :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Em primeiro, o bouquet está lindíssimo, simples como eu gosto e deve ter tido um valor ainda maior visto ter sido feito por ti e pala tua mãe! Pessoalmente, não gosto nada daqueles bouquet's muito extravagantes que mais parecem centro de mesa! Se algum dia me casasse, gostaria que o meu bouquet fosse simplesmente feito de alfazema (que eu tanto gosto)! E a ideia do oferecer um bouquet a cada amiga solteira foi uma ideia super original e um gesto muito bonito da tua parte :)

    ResponderEliminar
  11. Acho que te saíste super bem e essas ideias foram todas amorosas!:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Não ´foi a mesma coisa não. Foi melhor.
    Acho que o habitual nesses casos até é existirem DOIS bouquets. A noiva pretende guardar o seu para a posterioridade e tem outro menor para atirar. Mas achei o teu método bem mais democrático e... com maior carga emotiva :)

    ResponderEliminar
  13. Ohhh foi bonito!!! Gostei e adorava ir a casamentos com essa solução:) Adorei.
    Beijinho grande
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  14. Muito bonito o teu ramo :)
    Não ligo muito à religião, mas se o quiseste fazer e te fez sentir bem, fizeste muito bem :)

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua visita!
Já me visitaste nas redes sociais?
Facebook | Instagram
Ou então por aqui: cat.nemmaisnemmenos@gmail.com

/*pinterest hover button~