04 março 2016

A igreja


O casamento vai ser religioso. O noivo não é particularmente presente nas questões religiosas: é batizado, não tem nada contra mas é um céptico no que toca à igreja. Mas respeita a minha fé, respeita o bem que me faz frequentar a igreja e dar catequese e sabe que o matrimónio religioso era muito importante para mim. Então, assim será: casaremos na igreja.

Não tínhamos nenhuma igreja em que fizessemos questão casar. Eu, particularmente, gosto muito de duas igrejas: aquela em que fui batizada (mas que fica na terrinha da mãe por isso não era boa ideia) e a Basílica da Estrela (simplesmente porque a acho linda e vou lá várias vezes, à hora de almoço, quando preciso de um bocadinho de paz). Seja como for, a nossa vontade era que a igreja fosse perto do local que escolhêssemos para o copo de água, para evitar grandes viagens para os convidados.

Como escolhemos o Palácio que fica relativamente perto da nossa casa (uns 20 minutos), decidimos que seria giro aproveitar e casar na nossa Paróquia. Das duas igrejas que existem na nossa cidade, apenas uma estava disponível para o nosso dia, por isso a decisão estava tomada por nós. Confesso que se pudesse escolher, teria optado pela outra (mais moderna) mas já fico feliz por ter tido a opção de casar na minha paróquia e na igreja onde dou catequese.

Mais um ponto resolvido.

14 comentários:

  1. Também casei pela igreja , a que fui batizada , já que a da minha terra foi onde se celebrou a missa da morte da minha mãe e eu não fui capaz de me casar lá ...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Eu por acaso nunca quis casar pela igreja, sempre fui mais pelo civil :)

    ResponderEliminar
  3. Também casámos pela igreja, mas não somos nada chegados às questões religiosas. Fomos mais na "onda" da família, que gostava da cerimónia e não me arrependo. Não perdia nem ganhava nada em arranjar uma questão para nos afastar, num momento em que se quer união e cá estamos. :) Se voltasse atrás, provavelmente faria o mesmo. Não tive nada, fora ou dentro da igreja, que me tivesse dado motivos para me arrepender. Continuo a deixar a religião para quem tem fé e sigo em frente com as minhas convicções (ou falta delas).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é mesmo isso: "Não perdia nem ganhava nada em arranjar uma questão para nos afastar, num momento em que se quer união".

      Eliminar
  4. Eu e o meu marido temos ideias diferentes quanto à fé. Mas respeitamo.nos como vocês e isso é muito bonito. Mas optamos só pelo civil ainda está para vir a festa eheh.

    ResponderEliminar
  5. Eu não sou crente mas se um dia casar, casarei com todo o gosto na igreja já que é algo muito importante na vida do E. Acho que o importante numa relação é nunca diminuirmos nada da outra pessoa mesmo, como é o meu caso, seja bastante longe das minhas convicções.

    ResponderEliminar
  6. Eu também casei pela igreja com um noivo céptico. E casei na igreja onde fui baptizada, fiz a 1ª comunhão, crisma e, depois, baptizei as minhas filhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa igreja já faz parte das vossas vidas!

      Eliminar
  7. Passo a passo, começa tudo a ficar organizado! Está quase :)

    ResponderEliminar
  8. Boa :) Isso está a andar, estou a ver, e fico feliz por ti*

    ResponderEliminar
  9. Não obstante as vossas diferenças, as quais naturalmente fazem parte de um casal, o respeito que cada um teve pelo outro é, desde já, um excelente prenúncio de cumplicidade e acima de tudo de amor pelo outro. Continuem assim, porque mais importante que a celebração e o local onde a mesma será levada a cabo, será sem sombra de dúvida, a cumplicidade, o respeito mútuo e união que vos desafiará pela vida fora. Muitas Felicidades :)

    ResponderEliminar
  10. Tudo a resolver-se. E adoro a forma como descreves cada passo:)
    Beijinhos
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. O que eu acho mágica a Basílica da Estrela, é mesmo linda :)
    Eu e o meu noivo (!!!) não tivemos muitas dúvidas, uma vez decidido que casaríamos na minha terra. Tenho "duas paróquias", uma na qual fui baptizada e outra onde fiz tudo o resto e na qual participei muito, numa determinada altura da minha vida. Ultimamente, apesar da distância, identifico-me muito mais com aquela onde me baptizei e é aquela que frequentamos quando estamos lá os dois. A igreja é bem mais bonita do que a outra e por isso a escolha não podia ser outra. Ainda ponderei uma capela com algum significado mas era demasiado pequena para todos nós...
    =)

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua visita!
Já me visitaste nas redes sociais?
Facebook | Instagram
Ou então por aqui: cat.nemmaisnemmenos@gmail.com

/*pinterest hover button~